Política: União nas eleições municipais é consenso entre oposicionistas

Se depender da bancada de oposição na Assembleia Legislastiva e do presidente estadual do Democratas, José Carlos Aleluia, os partidos contrários ao governo Jaques Wagner estarão unidos na disputa das eleições municipais do ano que vem. Essa posição foi consensual na reunião dos deputados estaduais oposicionistas com o líder democrata ontem.

Para Aleluia, a dispersão das forças políticas favorece quem está no poder. “Desde 1986, temos observado que quem trabalha de modo disperso perde a eleição”. Ele foi taxativo na avaliação que fez do cenário oposicionista: “Ninguém se salva sozinho”.

Concordando com o presidente democrata, o líder da oposição na AL, Reinaldo Braga (DEM), disse que o encontro fortaleceu a proposta de reunir os oposicionistas em torno de candidaturas únicas nas eleições do ano que vem. “Queremos evitar os confrontos entre os candidatos de oposição de forma que as candidaturas se unifiquem em torno daquele que esteja em melhor condição de enfrentar o nome do governo”.

O deputado Luciano Simões (PMDB) citou o exemplo das eleições de 2010, quando a desunião oposicionista só facilitou a vitória de Jaques Wagner ao governo. “O prejuízo foi grande. Ano que vem precisamos corrigir essa falha para repercutir o êxito dessa união em 2014”.

A aliança no plano nacional do PMDB e PR com o PT não atrapalha o projeto das oposições baianas. “As particularidades nacionais do PMDB não vão impedir a união das oposições na Bahia”, garantiu o deputado estadual Leur Lomanto (PMDB). A posição foi compartilhada pelos deputados do PR.

O deputado Sandro Régis (PR) disse que as demonstrações de união dos oposicionistas estão animando o interior. Seu correligionário Elmar Nascimento (PR) ratificou a informação, destacando a importância da unidade entre os partidos de oposição. Presentes à reunião, os deputados estaduais Pedro Tavares (PMDB), Herbert Baborsa (DEM) e Adolfo Viana (PSDB) também apoiaram o posicionamento consensual.{jcomments on}