Descarte de máscaras oferece perigo para a população

A obrigatoriedade do uso de máscaras em locais públicos prevista em decretos municipais e estaduais é uma das alternativas mais viáveis, após o isolamento e o distanciamento social, para controlar a disseminação do novo coronavírus (Covid-19). Após a exigência da utilização do material, a quantidade de produtos descartados de maneira irresponsável tem crescido e ficado cada vez mais evidente nas ruas de diversas cidades.

A reportagem do Notícia Limpa flagrou, em diferentes bairros de Jacobina, o descarte irregular do equipamento de proteção individual (EPI), espalhados pelas ruas. ‘Um perigo’, conforme os infectologistas, pois se a pessoa estiver infectada pela Covid-19, a máscara vai conter uma certa quantidade de vírus. Já se sabe que o vírus permanece por algum tempo nas superfícies, principalmente se for uma que tem sustentabilidade.

segundo orientações da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, na ausência de locais para descarte biológico, como nos hospitais, o que se deve fazer ao jogar fora o material é colocá-lo em um lixo separado, com um plástico amarrado, para que este não seja um potencial de contaminação. Mesmo se a máscara for descartável, recomenda-se lavá-la com água sanitária e aguardar um período de 24 horas para, assim, realizar todo esse processo. Se a máscara for jogada fora de qualquer jeito, ela pode acabar nos barracões de lixo reciclável e colocar em risco a vida de trabalhadores.

Uma precaução necessária para diminuir riscos, e a solução do problema vem de casa. Atitudes simples para evitar a proliferação do vírus, cuidar da própria saúde e de outras pessoas.