Vitória mede forças com o CRB e pode abrir até 8 pontos para o Z4

Ganhar e ligar o secador. Essas são as missões do Vitória para a 24ª rodada da Série B. Afinal, o Leão pode abrir até oito pontos de distância para a zona de rebaixamento, uma diferença confortável. Mas, para que o cenário aconteça, bater o CRB, no Barradão, é essencial.

O duelo contra os alagoanos será neste sábado (28), às 18h30. Um triunfo faria com que o Vitória, atualmente na 16ª posição, chegasse aos 29 pontos. Atrás, em 17º, está o Náutico, com 21 pontos. O Timbu irá enfrentar o Juventude logo depois, às 21h, fora de casa, e, caso perca, ficaria estacionado na pontuação. O Figueirense, 18º colocado, também tem 21 pontos, mas já jogou na rodada, contra o Botafogo-SP (19º).

A partida diante do CRB, aliás, terá uma novidade para o Leão. Após a saída de Eduardo Barroca, que aceitou proposta na sexta-feira (27) para assumir o Botafogo, o técnico Rodrigo Chagas será o responsável por comandar o rubro-negro no jogo, válido pela 24ª rodada da Série B. Rodrigo é o treinador da equipe sub-20 e tem histórico no rubro-negro como jogador: foi revelado pelo clube e fez parte do time que foi vice-campeão brasileiro em 1993.


“Quero agradecer a oportunidade que me está sendo dada, de assumir o clube em que tenho todas as origens. Espero fazer com que os atletas entendam minha filosofia, minha ideia de jogo, para que a gente possa colocar o Vitória em um plano alto, todos nós desejamos. Realizar um grande trabalho, mesmo que seja nesse momento como interino. (…) É um desafio muito importante na minha vida, que eu espero poder aproveitar da melhor maneira possível”, comemorou o treinador.

Histórico
Vitória e CRB já se enfrentaram 21 vezes entre jogos da primeira divisão, Série B e Copa do Nordeste. O Leão ganhou mais: foram 10 triunfos, contra sete do time alagoano. Os outros quatro duelos terminaram empatados. No primeiro turno deste ano, no Rei Pelé, o Galo vencia por 2×0 até os 45 minutos do 2º tempo, mas o rubro-negro buscou o empate nos acréscimos.

O desempenho do Vitória é ainda melhor como mandante: nunca perdeu do rival em casa. Nas nove partidas em Salvador, ganhou sete. Os outros dois encontros foram empates.
(Correio)