Combate à corrupção não é prioridade, diz associação da PF

22/09/2011 - O combate à corrupção não é prioridade para o governo, afirmam delegados da Polícia Federal. Segundo eles, órgãos de fiscalização pública –como a própria polícia, o TCU (Tribunal de Contas da União) e a CGU (Controladoria-Geral da União)– sabem onde há desvios de verba, mas não os evitam porque a questão seria tratada de forma “secundária” pela atual gestão. De acordo com levantamento feito pela ADPF (Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal), o combate à corrupção não é contemplado pelo PPA (Plano Plurianual) 2012-2015, divulgado em 31 de agosto. Dos 11 desafios e 65 pontos prioritários do plano, o tema é citado apenas três vezes –segundo a associação. “Não há investimento para estancar a perda do dinheiro público. Isso vai evitar que as metas do governo sejam cumpridas. Podem até poupar, mas, se há vazamento, o dinheiro vai embora. Também não adianta tirar ministro se a máquina está comprometida. Vai-se perder o dinheiro ou na má gestão ou na corrupção. Desenvolvimento sustentável e justiça social é impossível com desvio de dinheiro público e fraude”, disse o diretor de comunicação da ADPF, Carlos Leôncio. Leia mais na Folha.