Educador financeiro dá dicas para aproveitar Black Friday sem prejuízos

As promoções da Black Friday começam apenas no fim de novembro, mas quanto antes de programar para esta data, melhor as chances de fazer bons negócios. As expectativas do mercado são otimistas: de acordo com um levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) 16% dos comerciantes brasileiros pretendem aderir à Black Friday, sendo que um em cada quatro acreditam que as vendas serão melhores do que no ano passado. Já 35% espera um resultado igual e apenas 10% acreditam que as vendas irão cair. Mas diante de tantas oportunidades é preciso ficar atento para não comprometer as finanças e aproveitar esse tempo para fazer uma boa pesquisa em sites e lojas, tendo assim a certeza de que fará um bom negócio, fugindo das compras por impulso, que no futuro poderão trazer dívidas desnecessárias.

"A primeira orientação é listar tudo o que pretende comprar na ocasião, sempre estabelecendo um valor limite que pode gastar. Tenha certeza que esses gastos totais caberão no orçamento, assim você evita contrair dívidas parcelando as compras, desde que tenha o compromisso de arcar com as parcelas durante os meses, é claro", orienta Reinaldo Domingos, educador financeiro e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira. Ele também diz que é preciso fazer um diagnóstico da sua situação financeira, caso não tenha conseguido poupar para esse período. "Com isso tem mais chances de comprar de forma consciente e com planejamento, já que esse é um dos pontos fundamentais da educação financeira. Com um foco determinado, nos tornamos menos suscetíveis a fazer as famosas compras por impulso, nos deixando levar pela influência de terceiros ou propagandas", afirma. Para aqueles que já fizeram esse planejamento, conseguiram poupar um dinheiro extra para a ocasião e irão encarar essa verdadeira maratona de compras, é importante ficar atento a algumas questões, alerta Domingos: "A principal delas é uma dose extra de paciência, já que a pressa pode nos levar a adquirir produtos por impulso, sem qualquer pesquisa, o que certamente irá encarecer no fim das contas."

Portanto, a melhor saída é pesquisar e se planejar, utilizando a facilidade da internet para comparar os preços em vários sites. "Além disso faça uma autocrítica e verifique se realmente precisa de determinado produto ou serviço nesse momento. Lembre-se de comprar com consciência, pois assim terá muito mais sustentabilidade financeira para poder comprar o ano inteiro sem comprometer as finanças", completa o educador financeiro. (Noticias ao Minuto)