Editorial: Chega de disse-me-disse: reeleger Valdice é burrice

15/7/2011 11h50 - A natimorta gestão municipal de Valdice Castro (DEM), em Jacobina, é um claro aviso ao eleitorado: o que não funciona precisa ser extirpado de vez.

Ao se lançar candidata a prefeita de Jacobina, substituindo o marido inelegível devido ao escândalo dos frangos - nada a ver com a fusão da Perdigão com a Sadia -, o ex-prefeito Leopoldo Passos, ela muito prometeu aos jacobinenses, especialmente a transformação que não veio, e muitas ilusões que vão se transformar em obras eleitoreiras no ano que vem.

O marido da prefeita chegou, inclusive, a promover uma reunião em janeiro de 2009, na residência do casal, em que disse a alto e bom som que "precisamos espalhar por aí que Rui deixou muitas dívidas, pois, do contrário, ele irá voltar à Prefeitura".

A preocupação do casal municipal nunca foi com os jacobinenses, mas com a volta de Rui Macedo e a consequente perda de poder, pois Leopoldo e Valdice nunca tiveram um projeto de governo, mas de poder.

A mando do marido, Valdice Castro rasgou o seu plano de governo e não realizou até agora nem 10% das promessas mirabolantes que levou para a campanha eleitoral.

A saúde foi desmantelada, até o Samu-192 está sendo rejeitado, a educação é o próprio caos, obras não se vê, com a exceção de realizações do governo federal e do governo do Estado.

Jacobina perde a cada dia a sua liderança regional para municípios como Miguel Calmon, Capim Grosso e Irecê, uma vez que o casal municipal aposta no quanto pior, melhor.

A eleição de 2012 vem aí e cabe ao eleitorado jacobinense dizer firmemente nas urnas:

- Valdice nunca mais!

E chega de disse-me-disse: reeleger Valdice é burrice.

CORINO RODRIGUES DE ALVARENGA

Diretor-Presidente do Corino Urgente