Em gravação, vereador suspeito de envolvimento na morte de Marielle conversa com miliciano

Marcello Siciliano e integrantes da milícia se cumprimentam chamando um ao outro de “irmão”