Câmara aprova proibição de arrastão na Quarta de Cinzas por motivo religioso

A Câmara Municipal de Salvador aprovou, na sessão desta quarta-feira (11), o Projeto de Lei de autoria do vereador Henrique Carballal (PV) que prevê proibição do tradicional arrastão realizado na Quarta-feira de Cinzas. No PL também é especificado que na data festiva seja proibido qualquer outro evento semelhante que venha a utilizar trios elétricos, palcos fixos ou móveis em locais públicos da capital baiana. 

Em conversa com o Bahia Notícias o autor do projeto atribuiu a proibição do arrastão na data a uma questão religiosa, ligada à Igreja Católica Apostólica Romana. 

“Primeiro que invadir a Quarta-feira de Cinzas sempre foi o anti-Carnaval. [...] O Carnaval é uma data do Calendário Litúrgico da Igreja Católica, ou seja, o Estado é laico, mas o Estado reconhece a religião de maioria, a religião cristã/católica. Nós precisamos respeitar a Quaresma e a Quarta-feira de Cinzas, porque isso é reconhecimento do Estado brasileiro, se não, não tem Carnaval. Acaba com o Carnaval e chama de outro nome, “Festa da Ressaca”, festa do que quiser, e não Carnaval”, comentou o edil. 

O projeto, mesmo aprovado pela Câmara, ainda não é lei, já que o texto será analisado pelo prefeito de Salvador ACM Neto, que poderá vetar ou sancionar a decisão da casa. O último arrastão realizado na despedida do Carnaval de 2019 foi comandado pelos cantores baianos Léo Santana e Danniel Vieira, no circuito Barra-Ondina. 
Fonte: Bahia Noticias